EUA emite Diretiva a aviões da Boeing

A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) emitiu uma para mais de 280 aviões do modelo 777, da Boeing, após revisões do sistema de combustível realizadas pelo fabricante.

Segundo o documento, o órgão exige, dependendo da configuração do avião, a instalação de mangas de Teflon, a vedação da tampa dos fixadores, inspeções detalhadas e ações corretivas. “Esta AD proposta também exigiria a revisão do programa de manutenção ou inspeção existente, conforme aplicável, para incorporar limitações de aeronavegabilidade (AWLs) mais restritivas. A FAA está propondo esta AD para abordar a condição insegura desses produtos”.

A medida afeta principalmente a American Airlines, a Delta Air Lines e a United Airlines, as três operadoras do Boeing 777 no país. Para cada aeronave, as adequações necessárias podem levar até 90 horas, o que equivale a cerca de quatro dias, a um custo total de quase US$ 50 milhões (R$ 264,6 milhões). 

Destas três companhias aéreas, a United será a mais afetada, pois 52 aviões de sua frota do 777 com motores PW4000, da Pratt & Whitney, acabaram de retornar à operação comercial após terem sido recertificados pela FAA, quase um ano e meio depois do grave incidente envolvendo uma falha não contida no Estado norte-americano do Colorado.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *